2.05.2006

Síntese de melanina e CIA! (3 col)


Síntese de melanina e a cor das nossas peles!

A cor da nossa pele é resultante da interaçãode vários fatores intrínsecos e extrínsecos (genéticos e meio ambiente). Os fatotes de maior importância são a presença de melanina e caroteno, a quantidade de capilares na derme e a cor do sangue que passa por esses capilares.
O que é melanina??

É um pigmento (proteína) produzida por uma célula que se situa na base da epiderme, chamada melanócito. O principal tipo de melanina é a de cor marrom-escura (eumelanina), outro tipo é a feomelanina, cujas cores variam do amarelo ao marrom avermelhado (responsável pelos tons ruivos, por exemplo).

Nosso enfoque aqui será a melanina marrom-escura, que desempenha um papel muito importante na proteção da pele contra os raios UV.

Como são os melanócitos?

São células globosas com vários prolongamentos que se dirigem à superfície da epiderme, o melanócito se parece com uma “mãozinha” (!). Esses prolongamentos penetram entre as células da camada basal e espinhosa da pele e, à medida que produzem a melanina, enviam vesículas contendo o pigmento para as células dessas camadas.

A síntese de melanina ocorre nos melanócitos, sendo a enzima TIROSINASE essencial nessa reação. A tirosinase é sintetizada ao nível do retículo rugoso e acumulada em vesículas formadas no complexo de Golgi (ou aperelho de Golgi, como quiser...). Essas vesículas recebem um nome (“pra variar”, rs), de pré-melanossomo, onde se inicia a síntese da melanina, e à medida em que a melanina se acumula nessas vesículas, se transformam em melanossomos (como se fossem vesículas um pouco mais maduras, mas ainda não printas), nos melanossomos existem melanina e ainda um pouco de tirosinase. Quando a síntese de melanina é cessada, o melanossomo recebe o nome de grão de melanina, e começam a migrar pelos prolongamentos dos melanócitos e distribuídos para as células epiteliais mais próximas.

Nas células epiteliais os grânulos de melanina não ficam soltos pela células, eles se organizam em volta do núcleo, como proteção para o DNA contra os raios UV, potencialmente mutagênicos.

O escurecimento de nossa pele quando exposta ao sol ocorre primeiramente devido ao escurecimento de parte da melanina já existente, e posteriormente, pela aceleração da síntese de melanina.

Os raios UV são potencialmente mutagênicos pois induzem mutações no DNA, podendo causar câncer de pele.

O Melanoma

(fonte: http://www.copacabanarunners.net/melanoma-maligno.html)
Melanoma maligno é o tipo de câncer de pele com pior prognóstico. É um tumor altamente maligno nos seus estágios avançados, devido à sua elevada probabilidade de disseminar metástases para outros órgãos.
O melanoma maligno origina-se dos melanócitos, as células que produzem o pigmento melanina que dá cor à pele. O melanoma é mais comum na pele mas pode surgir também raramente em outros epitélios, como no olho, nas mucosas do esôfago, vagina e outros orgãos. Genes mutados frequentemente incluem o CDK4 (uma cinase de ciclina) e o BRAF, um membro da família dos oncogenes RAS.
Causas... Nos EUA há mais de 50.000 casos ao ano e cerca de 8000 mortes. Os principais fatores de risco do melanoma são a pele clara e a exposição ao Sol, uma vez que os raios ultravioletas provocam alterações ou mutações no DNA (por exemplo dimerização de determinadas bases), e as pessoas de pele escura têm melanina que absorve a maioria desses raios UV antes deles provocarem danos. No entanto o melanoma pode surgir em áreas da pele não expostas ao sol e em pessoas de pele muito escura também, porque a melanina não pára todos os raios UV, há alguns raios UV mesmo quando há nuvens e no Inverno, e porque há outros fatores que podem causar o melanoma, como fatores genéticos (susceptibilidade hereditária, responsável por 10% dos casos), e determinados químicos cancerígenos.

Usem filtro solar diariamente....

E o Vitiligo?
O vitiligo caracteriza-se pela diminuição ou falta de melanina em certas regiões do corpo, gerando manchas brancas nos locais afetados. As lesões, podem ser isoladas ou espalhadas pelo corpo, atingem principalmente os genitais, cotovelos, joelhos, face, extremidades dos membros inferiores e superiores (mãos e pés).
Como surge?
Existem algumas teorias para o surgimento do vitiligo:
-Teoria neural
Vitiligo segmentar: incide geralmente sobre a região de um nevo (pinta) e é provocado por substâncias que destroem os melanócitos, células que produzem melanina;
-Teoria citóxica
A despigmentação da pele é provocada por substâncias como a hidroquinona presente em materiais como borracha e certos tecidos;

-Teoria auto-imune
Consiste na formação de anticorpos que atacam e destroem o melanócito ou inibem a produção de melanina. Parece estar associado a outras doenças auto-imunes, como diabetes e doenças da tireóide. Há ocorrência familiar em 20% a 30% dos casos.
Tratamento

Os tratamentos convencionais são longos e geralmente envolvem aplicações de pomadas à base de corticóides, loções e fototerapia (exposição ao sol com uso de substâncias fotossensibilizantes). Raramente ocorre cura definitiva das lesões, pois há áreas que apresentam maior dificuldade de recuperar a pigmentação. Quando o processo afeta mais de 50% do corpo a opção de tratamento pode ser a despigmentação total da pele Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, os resultados do tratamento cubano que esteve em voga durante algum tempo não foram superiores aos da fototerapia convencional.. É importante levar em conta que o estado psicológico do paciente, visto que fatores emocionais podem agravar o aparecimento e evolução das lesões.

Mais informações consulte: http://www.drauziovarella.com.br/

E o Albinismo???

Albinismo é a ausência parcial ou total do pigmento melanina na pele, no cabelo e nos olhos. Pessoas de pele clara e rosada, olhos azul acinzentados ou róseo-claros e cabelos esbranquiçados sofrem de albinismo, uma patologia congênita em que os pais, não necessariamente albinos, são portadores do gene causador da doença. Na fecundação , se os dois genes se juntam, as células do bebê não são programadas para produzerem a melanima.
Existe mais de um tipo de albinismo e alguns atingem apenas os olhos. Entretanto, a forma mais perigosa de albinismo é a que determina a total ausência de pigmento por todo o corpo denominada albinismo universal ou óculo-cutâneo .
O albinismo óculo-cutâneo caracteriza-se por uma acentuada hipopigmentação da pele, cabelos e olhos. A pele é branco-leitosa e desenvolve eritemas intensos em resposta à exposição ao sol. O cabelo é branco, amarelado ou pardo-amarelado. Os olhos não têm pigmento na coróide nem na retina, e a íris é diáfana, em geral azul-acinzentada. Invarialvemente ocorrem nistagmo, fotofobia e diminuição da acuidade visual. As pupilas são às vezes vermelhas crianças, mas nos adultos são sempre negras.
Os albinos apresentam grande susceptibilidade ao câncer de pele: sua longevidade está em média diminuida, devido a isso e a acidentes decorrentes da baixa acuidade visual. Os cuidados médicos cnsistem na proteção da pele contra a irradiação solar e no uso de óculos escuros e de grau.
A doença decorre de um bloqueio incurável da síntese de melanina devido à ausência da enzima tirosinase nos melanócitos os quais estão, entretanto, presentes em número normal, mas são incapazes de produzir o pigmento.
O albinismo óculo-cutâneo é um dos erros inatos do metabolismo de terminados por gene autossômico recessivo. Encontra-se consagüinidade entre os pais dos afetados em 20 a 30% dos casos as literatura.
Apesar de condicionadas por mecanismo hereditário autossômico recessivo, distinguem-se atualmente duas formas da doença: albinismo óculo-cutâneo tirosinase-negativo e albinismo óculo-cutâneo tirosinase positivo. A primeira forma corresponde à descrita anteriormente pode ser caracterizada mediante um teste de atividade de tirosinase in vitro: ao contrário do que ocorre na forma tirosinase-negativa, melanócitos de bulbos de cabelos de pacientes com variante tirosinase-positiva, são capazes de sintentizar melanina
A diferenciação entre as duas formas apenas por meio de sinais clínicos é raramente possível, pois a única discrepância entre elas é que os albinos tirosinase-positivos, ao contrário dos negativos, podem melhorar de acuidade visual na idade adulta.

Fonte: http://www.ufv.br/dbg/trab2002/AG/ACG001.htm

Se você não entendeu esses termos autossômico e cia, fique tranqüilo, veremos esse assunto em genética, no 2º semestre. Posted by Picasa

2 comentários:

  1. xD


    To passando :P

    ueheuhe


    Muito interessante o texto sobre Síntese de melanina

    Li tudo...


    :P

    ResponderExcluir
  2. Valeu Evertonnnnn...!
    Que bom que vc leu tudo...rsrsrsrs
    Mas qdo precisar, sabe que está aqui... gostou do desenho???
    rs

    bjinhos

    ResponderExcluir