5.18.2010

Edward Jenner, vacas e varíola

O médico Inglês Edward Jenner em  1796, resolveu pôr à prova a sabedoria popular que dizia que quem lidava com gado não contraía varíola. A partir de suas observações sobre a varíola bovina e seu efeito nas mulheres que ordenhavam vacas, ele conduziu sua primeira experiência com James Phipps, um menino de oito anos.
Jenner o inoculou com o pus extraído de feridas de vacas contaminadas, tornando-o imune à varíola humana, uma das doenças epidêmicas mais mortais do período.
No ano seguinte, ele relatou seu experimento à Royal Society - a Academia de Ciências do Reino Unido -, mas as provas que ele apresentou foram consideradas insuficientes. Ele realizou então novas inoculações em outras crianças, inclusive em seu próprio filho.
Em 1798,seu trabalho foi reconhecido e publicado. O nome vacina vem do latim vacca, que significa vaca, e foi criado por Jenner.
Fig. 2- Braço da ordenhadeira Sarah Nelmes, de quem Jenner retirou o pus para aplicar no garoto  James (Fig. 3)

No entanto, seus críticos procuravam ridicularizá-lo, denunciando como repulsivo o processo de infectar gente com material colhido de animais doentes. As vantagens da vacinação, porém, logo se tornaram tão evidentes.
Jenner também se dedicou a outras áreas de pesquisa, colecionando fósseis e realizando pesquisas em horticultura. Seu legado para a humanidade, porém, está ligado ao princípio da vacinação e à varíola, que foi erradicada na década de 1980, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.

Fonte: BBC Historic Figures

Nenhum comentário:

Postar um comentário